banquete dos deuses

0
Anúncios

o pomo da discórdia

0

O Julgamento de Paris - Peter Paul Rubens.jpg

Conta o mito que houve um casamento no monte Olimpo em que todos os deuses foram convidados, menos Éris (deusa da discórdia) porém ela comparece e, sorrateiramente deixa uma maçã de ouro numa mesa com um bilhete escrito assim: Para a Mais Bela!. As deusas Hera (rainha dos deuses), Atena (deusa da justiça) e Afrodite (deusa da sensualidade) decidem disputar o título da mais bela. Convidam Zeus para ser juiz, mas sabendo que escolher uma era contrariar duas, ordena que o príncipe troiano Páris decida.

Páris foi abandonado no alto de uma colina, recém nascido, pelo seu pai, rei de Troia. Príamo sentenciou seu filho à morte por receio de uma previsão de um oráculo, de que um dia seu filho derrubaria seu império. O príncipe é encontrado por um pastor e criado em meio as ovelhas.

Hermes foi responsável por lhe enviar a maçã e lhe informar dessa dúbia honra que lhe era conferida pelo rei dos deuses. Páris decide dividir a maçã em três, mas Hermes não aceita e a estratégia e pede que as deusas apareçam. Elas se exibem perante o jovem: Hera lhe oferece o governo do mundo; Atena promete torná-lo o mais poderoso e justo dos guerreiros; e Afrodite abre sua túnica e oferece o cálice do amor, prometendo-lhe a mulher mortal mais bonita do mundo como esposa.

O resultado foi previsível. Paris entrega a maçã sem nenhuma hesitação à Afrodite. As deusas Hera e Atena dizem que não se magoaram, mas saem de braços dados confabulando a ruína de Troia

Páris recebe como prêmio a rainha da Helena, eles se apaixonam e fogem para Troia. Mas, inconvenientemente ela era casada com Menelau, que era camarada de Ulísses. Eles atravessam o mar com mil navios e depois de um cerco de dez anos e todo desenrolar da guerra, resgatam Helena e destroem Troia e de toda a casa real.

cornucópia

0

cornucópia

Na mitologia grega é conhecida como cornucópia de Amaltea, conta a história que era uma ninfa-cabra descendente do Sol que viva numa gruta no monte Ida de Creta. Segundo o mito ela seria filha de Meliseo, e teria alimentado Zeus enquanto se escondia do seu pai Cronos.

Quando Zeus era pequeno e era tratado por Amaltea, num ataque de ira, o deus menino agarrou com força o corno da cabra, puxou-o e arrancou-o, produzindo uma enorme dor à sua cuidadora. A medida que se foi fazendo adulto e lembrando-se do acidente, Zeus concedeu ao corno arrancado o dom da abundância; a partir desse momento o corno está sempre cheio de alimentos e bens que o seu dono possa desejar. Quando Amaltea morreu foi levada a Zeus que a transformou na constelação de Capricórnio.

Esse corno é chamado de “a cornucópia” ou “o corno da abundância” símbolo da produtividade da natureza.

Palas Atena

3

Athena-03.jpg.pagespeed.ce.3Kvf2xjp7N

Atena era a filha predileta de Zeus, porém quando Métis ficou grávida, Zeus engoliu a esposa com medo de sua filha nascer mais poderosa que ele e lhe tirar o trono, mas para que isso acontecesse convenceu Métis a participar de uma brincadeira divina, onde cada um se transformava em um animal diferente e Métis pouco prudente acabou se transformando em uma mosca, e Zeus a engoliu. Métis foi para a cabeça de Zeus. Mas com o passar dos anos, Zeus sentiu uma forte dor de cabeça e pediu para que Hefesto lhe desse uma machadada, foi então que Atena já adulta saltou de dentro do cérebro de seu pai, já com armadura, elmo e escudo.