rios da América do Sul

1

rios

No dia 5 de novembro de 2015, a cidade histórica de Mariana, que fez parte da Estrada Real criada ainda no século XVII, foi o cenário principal do maior desastre ambiental da História do Brasil, de acordo com o Ibama. Por volta das 16h, a barragem de Fundão, da mineradora Samarco, se rompeu, provocando o vazamento de 62 milhões de metros cúbicos de lama de rejeitos de minério, matando 19 pessoas (entre moradores e funcionários da empresa), destruindo centenas de imóveis e deixando milhares de pessoas desabrigadas. O vazamento, considerado o maior de todos os tempos em volume de material despejado por barragens de rejeitos de mineração provocou também a poluição do Rio Doce e danos ambientais que se estenderam aos estados do Espírito Santo e da Bahia.

Um grupo de especialistas de diferentes estados do Brasil está se articulando para investigar a relação entre o surto de febre amarela e a degradação do meio ambiente ocorrida pelo desastre.

fonte de pesquisa e aqui.

Retratos do fim do mundo

0

É cada vez maior o número de evidências científicas que comprovam que a exploração da Terra está muito próxima de seu limite. O alerta é grave, mas nem tudo está perdido

Área central de Barcelona, Espanha, cidade com 5 milhões de habitantes numa área de 91 km2

Vítimas do terremoto de 2010 que devastou o Haiti se atropelam na fila de distribuição de alimentos

A ONU estima que as cidades produzam cerca de 1,3 bilhão de toneladas de resíduos sólidos por ano. Os padrões crescentes de consumo e a falta de políticas adequadas de tratamento de lixo podem elevar esse número a 2,2 bilhões de toneladas em 2025, o que teria consequências graves para o meio ambiente e a saúde humana. Na imagem, lixão a céu aberto em Bangladesh

Surfista encara um tubo em meio a detritos dos mais variados tipos numa praia da Indonésia


O livro reúne textos e imagens de fotógrafos do mundo todo que retratam os danos causados pelo homem ao meio ambiente e a si próprio. A obra, organizada por Tom Butler, disponível apenas em inglês, pode ser adquirida no site populationspeakout

Excedendo os limites

O cientista sueco Johan Rockström, chefe de um renomado centro de estudos de resiliência do planeta na Universidade de Estocolmo, criou um método para quantificar os danos causados pela humanidade à Terra. Ele estipulou nove limites que precisam ser assegurados para que o nosso mundo continue habitável – pelo menos para as formas de vida como as conhecemos, inclusive a nossa.

As fronteiras definidas pelo ambientalista dizem respeito: 1) às mudanças climáticas; 2) à extinção das espécies e à perda da biodiversidade; 3) à contaminação de ecossistemas com elementos como nitrogênio e fósforo; 4) ao desmatamento e à degradação da terra; 5) às emissões de partículas como os aerossóis na atmosfera; 6) à diminuição da camada de ozônio; 7) à acidificação dos oceanos; 8) ao uso de água potável; 9) ao despejo de poluentes (plástico, materiais radiativos, etc.) no meio ambiente.

– fonte.

Questionário para os quintos anos das EMEB´s do município de Indaiatuba, vinculado à disciplina de Filosofia – área de ética e meio ambiente.